Alerta Final

Visite a página no face book geziel.costa

sábado, 9 de maio de 2009

ECUMENISMO


A palavra ecumenismo “ecumene” (ecumênico, ecumenismo) provém do grego “oikoumene" e também do radical grego oíkos (casa, terra habitável, universo), e tem o sentido de universal. Tem a mesma origem etimológica como “ecologia”, “economia”, "ecossistema" e outros.

Na tradução grega do Antigo Testamento, o termo é usado para designar a salvação universal (Salmos, 16 vezes Isaías 14). No Novo Testamento aparece em (Lucas, Romanos, Atos). Sobre o aspecto político designa o império romano. Sobre a perspectiva cultural o mundo helenista, para a primeira cristandade a ecumene passa a ser vista o campo missionário. Depois o termo foi aplicado a toda a igreja difundida por toda a terra. Igreja toda, igreja católica, igreja universal. Ecumenismo quer a unidade da humanidade, e da sociedade, isso que o (CMI) sempre enfatizou.

O ecumenismo é uma expressão genérica que se refere a um conjunto de tendências e movimentos com a finalidade de reunir, sob as mais diversas formas, os vários ramos do cristianismo. Desde a separação entre as igrejas do Oriente e do Ocidente (Grande Cisma de 1054 até a Reforma Protestante do século XVI, em decorrências da qual surgem outras divisões como luteranos, anglicanos, calvinistas etc.


Houve tentativas de reconciliação. As divisões sempre existiram, já no Novo Testamento houve grupos sectários, ameaças de heresias e etc. Houve grupos como os gnósticos, pelagianas e outras. No âmbito protestante, por sua vez, as divisões se acentuaram durante o século XVII, e com a cisão no anglicanismo (termo médio entre o catolicismo de renovação de Jonh Wesley, que deu origem ao metodismo, no século XVII.

O ecumenismo que se busca hoje, ao contrário, promove uma união com base no que poderíamos chamar de “menor denominador comum” (usando terminologia matemática). Seus porta-vozes confundem a unidade dos verdadeiros crentes, como João a descreve (veja Jo 17.21-23), com a união de igrejas e organizações ou, ampliando ainda mais sua abrangência, com a união de todos os que de alguma forma crêem em Deus ou em alguma divindade.


Segundo o texto o ecumenismo tem por objetivo produzir a unidade cristã, pretende fazer visível a unidade que já existe em Cristo. O ecumenismo é promovido por diversos grupos e acontece em muitos níveis, por exemplo, ecumenismo eclesiástico, o dos movimentos, o de base e de cúpula, existe um ecumenismo prático e outro doutrinal um em liturgia outro em oração, espontâneo e outro organizado, a nível local, regional, nacional e internacional. Ecumenismo é um fenômeno multifaceado, e vários são os seus métodos, seus jeitos e sujeitos.

Apesar de promover boa causa, o ecumenismo encontra múltiplas resistências, provoca temores ameaças À própria identidade sofre suspeita de sincretismo e etc. Tudo quanto dissemos antes nos leva a refletir sobre o terceiro aspecto do ecumenismo: a sua relação com a missão evangelizadora da Igreja. O Concílio Vaticano II é mais claro do que nunca, quando confirma isto. No pensamento dos Padres conciliares, a Unitatis redintegratio é um texto que está intimamente ligado ao do Ad gentes, sobre a atividade missionária da Igreja.


Trata-se de dois momentos de uma única abordagem sobre o anúncio da Boa Nova aos homens do nosso tempo. Considerá-los como dois documentos autônomos, independentes um do outro, equivaleria a renunciar à compreensão do verdadeiro conteúdo e do autêntico alcance tanto do primeiro como do segundo. Ecumenismo segundo o texto cria comunhão, credibilidade, as brigas e desavenças internas perdem isso. As guerras acumulam culpas diante de Deus. Em sentido abrangente, ecumenismo persegue o objetivo da paz na terra.

Toda teologia na verdade é ecumênica relacionando-se com o passado teológico, da história da igreja. O conhecimento de Lutero e Calvino requer o estudo da teologia escolástica da Idade Média e da idade Antiga. Temos que considerar a história da igreja e outros continentes e outras entidades. Isto vale para a exegese, a dogmática, a teologia prática e todo fazer teológico.
O ecumenismo propõe unidade, convivência com o diferente, convivência pacífica.


Houve épocas que se achavam que o ecumenismo estava perto, a unidade das igrejas estava próxima, o que foi um engano, o caminho ecumênico se revelou como distante, pedregoso, difícil etc. Não é por isso que vem adesistencia, mesmo assim será possível viver a comunhão dos santos. O empenho para o ecumenismo tem a promessa da benção.

Um dos entraves continua sendo a dificuldade da definição dos objetivos do ecumenismo. Falta uma visão do que seja unidade. A mesma palavra pode ter sentidos diferentes. O termo “ecumenismo” é usado de maneiras diferentes em diversos contextos. Pode se referir aos movimentos que promovem “ecumenismo cristão”, fraternidade entre as religiões chamadas cristãs.


Algumas organizações procuram relações entre protestantes, outras entre católicos e protestantes, etc. Um sentido mais abrangente, chamado, às vezes, de macro-ecumenismo, representa movimentos para paz, tolerância e união entre as diversas religiões – católicos, protestantes, budistas, hinduístas, judeus, muçulmanos, etc. Os termos ecumene e ecumenismo necessitam de explicação, queremos unidade e a paz, mas como alcançar o objetivo?


Texto de

Geziel Silva Costa

6 comentários:

Valdeci do Carmo disse...

Parabéns Geziel....o seu blog está cada vez mais rico em informações e conhecimentos gerais.....Muito importante esse seu comentário sobre ecumenismo, principalmente no atual m omento em que vivemos onde a tendencia é a globalização até mesmo da religião e dos valores morais que para mim estão se transformando em desvalores. Pois a moral cedeu lugar a imoralidade e hoje que m está sento penalizado é quem procura viver de forma digna e honesta. Nestes últimos dias, é comum vermos pessoas embriagadas com todo tipo de religião, não conseguindo mais enchegar a realidade da Palavra de Deus. Pregadores andam em nosso meio fazendo pegadihas no meio dos irmãos e além dos reais que levam, arrancam glórias e aleluias, pessoas usam de truques para dizer que ossos estão crescendo e mais um monte de coisas, mas não vejo eles terem coragem de orar para alguém que está em uma cadeira de rodas.....o fim esta´chegando e a Palavra de Deus está sendo perdida, deixada de lado para dar lugar ao exibicionismo barato e enganador..Continue semeando a preciosa semente....um grande abraço..

Valdeci do Carmo

Geziel Silva Costa disse...

A paz Valdecir!

Obrigado pelas palavras de encentivo. Na verdade, a mensagem que era para ser bíblica, evangelística e profética, tem se tornado mensagem de trinfalismo, prosperidade e outros blá blá blá.

Os pioneiros pregavam que Jesus salva cura, batiza com o Espírito Santo e leva para o céu.

Outros ainda diziam que Jesus é o mesmo ontem hoje e eternamente para salvar curar,batizar e levar para o céu.

Mas a inversão de valores, a perca dos abjetivos do IDE,e a falta do conhecimento do EVANGELHO genuíno, tem levados à esta direção que você citou.

Que Deus no guarde disto, e nos dê força e coragem para continuarmos ensinando e pregando contra as heresias que assola a igreja.

Abrs
Geziel Silva Costa

aindaexistepaz.com disse...

Geziel, a PAz do Senhor! Gostei muito do texto sobre ecumenismo. Estudo teologia, tranquei o curso por motivos pessoais mas retomarei em breve e tenho certeza que o Alerta Final será uma ótima referência para pesquisas. Deus te Abençoe!

Geziel Silva Costa disse...

Olá meu querido irmão!

É uma alegria ver vc aqui. Volte a estudar teologia, é uma benção fazê-la, e nos ajude na verdade do evangelho.

Na paz
Geziel

OLHO VIVO disse...

A farsa do Ecumenismo
SERVIMOS TODOS AO MESMO DEUS?

“Só ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Êle servirás”
Mateus 4:10

O cristianismo moderno incorporou à suas práticas algo perigoso, herético e sem fundamento Bíblico nenhum, o “CULTO ECUMÊNICO”. Não existe um só texto nas Escrituras, que dê sustentação a esta farsa religiosa implantada pelo Diabo para tornar mais fácil a execução de seus projetos. O Que de fato há, são interesses em criar uma “RELIGIÃO UNIVERSAL”, misturando as coisas boas com as podridões dos misticismos religiosos.

O “ECUMENISMO”, no conceito estabelecido pelo inimigo, é a tendência entre igrejas “cristãs” em desenvolverem atividades conjuntas, no sentido de formar uma universalidade nos “cultos”. É a busca das igrejas em formar um só rebanho. Por se tratar de uma utopia, o que se percebe são atividades ECUMÊNICAS, onde elementos de diversas igrejas se congregam para desenvolverem atividades religiosas, respeitando-se as diferenças para uma convivência fraterna entre os “irmãos”. Esta é a tática mais usada largamente pelo Diabo contra a “NOIVA DO CORDEIRO”.

Vejamos o que a Bíblia diz: “...E edificou Noé um altar ao Senhor, e tomou de todo animal LIMPO, e de toda a ave LIMPA, e oferecu culto ao Senhor” - Gêneses 8:21. Deus ordena a Noé que saia da arca, e antes de qualquer outra atividade, ele ergue um altar e ali, depois de todos os percalços com o diluvio, exalta a Deus, adorando-o pelo livramente e pela forma como foi conduzido durante todo o tempo em que esteve recluso naquela embarcação. O “C U L T O “ teve um objetivo unico, ímpar e especial, permitir que a criatura se voltasse para o criador, num cerimonial, onde se utilisou o MELHOR, no caso os animais e as aves limpas. Abraão também, por várias vezes edificou altares e celebrou a Deus pelos seus feitos. Moisés, era responsável por conduzir o povo, ele tinha uma relação de CULTO perfeita com Deus, até que, num belo dia, ele estava no monte buscando a Deus e o povo, descrente de que o líder ainda pudesse estar vivo, foram até Arão pressioná-lo para que ele construísse “deuses” para que pudessem adrorá-los. Ele, pressionado, constrói um bezerro de ouro, e o povo se curva diante daquela imagem.

Aqui está a origem do ECUMENISMO! O povo de Deus, se misturando com as coisas do mundo PAGÃO, por não terem consistencia na vida espiritual. Como Arão, estava de alguma forma, debilitado na fé, ele permitiu e até AJUDOU o povo nas suas clebrações. Deus, numa atitude de “Pai Protetor”, ordena a Moisés que desça imedataente, porque o povo havia se “CORROMPIDO”. O povo havia se desviado do caminho original, e a coisa foi tão grave, que Deus sugeriu a Moisés exterminar toda a quela gente. O homem, na sua fraqueza, quis transformar o “CULTO” espiritual a Deus, num “culto” materialista, voltado para a contemplação de um animal fundido em ouro. Estava assim, instalada a primeira tentativa de se estabelecer o ECUMENISMO como unidade de “culto”. O relato está em Êxodo 32. O profeta alerta: “A quem me fareis semelhante, e a que me igualareis e me comparareis, para que sejamos semelhantes? - Isaías 46:5. Outro ponto desprezado pelos defensores desta salada religiosa é: “Mas, agora vos escreví que não vos associeis com aqueles que, dizendo-se “I R M Â O”, for devasso, ou avarento, ou “I D O L Á T R A”, ou beberrão, ou maldizente, ou robador. Com os tais, NEM COMAIS” - I Coríntios 5:11.

Continua...

OLHO VIVO disse...

Continua...

O prório Jesus foi categórico nasta história de se juntar todos num mesmo ritual: “Mas a hora vem, e agora é, que os VERDADEIROS adoradores, adorarão ao Pai, em ESPIRITO e em VERDADE” - João 4:23. São palavras irrefutáveis, e que em hipótese alguma podem ser contrariadas, seja por que motivos for. Assim, é inadmissivel a um “cristão verdadeiro” se envolver com práticas que violam os princípios exigidos por Cristo Jesus. TREVAS e LUZ não se misturam!

O CULTO tem sido considerado, pela maioria dos cristãos, como o ato central de identidade cristã através da história. Muitos teólogos cristãos têm definido a humanidade como “HOMO ADORANS”, ou seja, "o homem que cultua", significando assim que o culto a Deus é central para se compreender o ser humano.

Diante disso, podemos sintetizar dizendo que CULTO é uma cerimônia, é o conjunto de atos de LOUVOR, os quais são expressões de apreciação por algo ou alguém, fruto do nosso estado de ADORAÇÃO. Em se tratando de adoração cristã, o alvo do culto é a Trindade Divina, Pai, Filho e Espírito Santo. O CULTO a Deus deve se constituir num estado de espírito permanente na vida daqueles que reconhecem a Sua soberania, desde o despertar até o adormecer, buscando a comunhão com Ele. O nosso CULTO pode ter caráter individual ou coletivo, sendo este último, caracterizado quando nos reunimos como igreja de Cristo para, em tempo e local pré-determinados, cultuarmos a Deus em conjunto. E é este conjunto que o Diabo está minando na sua essência, para implantar as suas idéias distorcidas de reverenciarmos Deus.

Nos textos originais das Sagradas Escrituras, encontramos expressões particulares que foram traduzidas para o Português como, CULTO, LOUVOR ou ADORAÇÃO. A imagem mais antiga que encontramos no Antigo Testamento, significando culto, é a de curvar-se, colocando o rosto em terra, diante do objeto ou pessoa que estejam sendo cultuados. A palavra hebraica SHACHAH, isto é, adorar, representa este ato e foi traduzida, na SEPTUAGINTA, como PROSKUNEIN.

Os estudos da Antropologia mostram que o homem, desde os tempos mais remotos, tem revelado uma necessidade natural de cultuar algo ou alguém. Tais revelações têm demonstrado que o homem é religioso por natureza, e deve ter algum alvo do que, para ele, é “CULTO”. A história antiga nos aponta as diversas oportunidades em que o homem tem se envolvido em rituais supersticiosos e sacrifícios dedicados a algo ou a alguém de caráter transcendental. Os povos pagãos se curvavam diante de imagens de madeira ou de pedra, acreditando, com isso, que obteriam benefícios transcendentais ou afastariam maldições, pragas e outros malefícios. Esta continua sendo uma pratica deliberada do catolicismo, onde imagens são veneradas como se fossem a divindade.

Nos dias de hoje, ainda vemos o homem cultivando outras espécies de idolatria pagã, reverenciando possessões, prazeres, poder, suas próprias personalidades ou até mesmo familiares. E o que é pior, os “EVANGÉLICOS” estão se associando a estas práticas misturando “alhos” com “bugalhos”, “sagrado” e “profano”, como se todos fossem “FARINHA DO MESMO SACO”, o que “lamentavelmente”, não está longe de acontecer. Paulo recomenda: “Vigiai justamente, e não pequeis, porque alguns ainda não têm conhecimento de DEUS, e digo isto para “VERGONHA” vossa” - I Coríntios 15:34.

Portanto, se alguém lhe convidar para um “CULTO ECUMÊNICO”, pode dar gargalhadas, é enganação e estão, sutilmente, tentando te passar para trás na sua crença. Fique atento, e não dê asas para o Diabo voar solto por ai arrebatando adeptos para as suas investidas.

“Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda toda a massa? Alimpai-vos, pois do fermento velho, para que sejais uma nova massa...”
I Coríntios 5:6 e 7

“Se você não se importa de onde está, então você não está perdido”

Carlos Roberto Martins de Souza
crms2casa@hotmail.com