Alerta Final

Visite a página no face book geziel.costa

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

RUBEM ALVES E A INTERDISCIPLINARIDADE: POR UMA EDUCAÇÂO ROMÂNTICA

Meu Comentário sobre o Artigo de Iuri Andréas Reblin
Escola Superior de Teologia

O grande educador Rubem Alves faz distinção entre o educador e o professor. Para ele, educador está em extinção, restando muitos professores que estão em sala de aula com seus produtos e suas fórmulas e lógicas a serem implantadas nos alunos como se eles fossem máquinas recarregáveis. O educador não é função, mas vocação, e quem tem vocação leciona com amor, produzindo esperança. Lecionar com amor é atitude de educador, que não se preocupa só com suas remunerações, mas ensina com paixão para transformar. 
 
A escola não deve limitar-se em transmitir apenas o saber negando as aspirações das crianças. Mas sim adaptar ao saber o prazer, isto é: Estimular a criança a aprender enquanto brinca. Aprender por prazer é uma atitude que produz resultados plausíveis. Segundo Alves, o vestibular tirou o prazer de aprender, e as pessoas agora aprendem por necessidade, e não mais por prazer, desenvolvendo resultados negativos em sua aprendizagem. Buscam conhecimento por necessidade, sem estímulo, sem sentimentos prazerosos que geram mudanças.
 
Segundo Alves, a utilização da aprendizagem no dia a dia seria mais eficiente. Os conteúdos escolares deveriam ser modificados fazendo parte da realidade de cada aluno, por exemplo: Ir ao mercado praticar matemática, seria algo prazeroso e próximo da realidade do aluno, assim ele aprenderia não somente as técnicas e as fórmulas, que para ele são sem sentido e sem significado. Seria necessário o ensino da arte, da música, teatro etc. assim o prazer de aprender estaria estampado em cada rosto. 

Outro exemplo que Alves mostra sobre as diferenças de escola que ensinam e que fingem ensinar são: Escolas gaiolas e Escolas Asas. As escolas gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte de voar. Assim ficam presos às gaiolas, sujeitos limitados e sobre controle sem condições de mostrar seu potencial de voo. As Escolas Asas não ensinam a voar, porque o voo é nato nestes pássaros. Todavia elas encorajam ao voo, fazendo com que os pássaros voem mais alto, e se apreciam com a capacidade de voo de cada pássaro e se orgulham disso. 

 
O programa educacional do corpo e a totalidade do indivíduo, o indivíduo em seu todo precisa de instrução. Assim Alves resume a aprendizagem como ferramentas e aprendizagem como brinquedos. A caixa de ferramentas são os conhecimentos que obtemos para resolvermos os problemas vitais da vida que surgem no nosso dia a dia. Assim podemos voar pelos caminhos do mundo através das ferramentas que são os conhecimentos. E com o conhecimento que obtemos, não ficamos presos ou ignorantes frente a situações problemáticas, mas lidamos com maestria com as adversidades. Brinquedos são as coisas que dão prazer à alma. Com os brinquedos podemos voar pelos caminhos da emoção, satisfação e realização que são faculdades da alma.
As escolas enquanto asas impulsionam o ser humano tanto adulto como crianças a alçarem voo, ir além, caminhar só, desenvolverem seus pensamentos próprios, sonhar e realizar seus próprios sonhos, ao invés de serem parte do sistema alienante, ou uma engrenagem simples no sistema burocrático-mercantilista. Escolas que promovem o voo, também desperta a visão para ver o mundo, a natureza e a realidade do sistema e da vida em sua volta.
Geziel Silva Costa
 

Leitura Escolar e Histórias em Quadrinhos

O Artigo da Dra. Valéria Bari da Universidade Federal de Sergipe. Fiz um comentário do artigo, que trata da Leitura Escolar e Histórias em Quadrinhos, fruição intelectual, criatividade e formação de gestos de leitura. Compartilho com os amantes da leitura.

O ponto de partida para o Letramento é a leitura familiar, ou seja: A criança deve do berço receber orientações e instruções sobre a importância da leitura. A escola por sua vez dará continuidade a este processo, orientando o aluno sobre seu percurso. Todavia, no Brasil os livros ainda são muito caros, e as bibliotecas por cada habitantes, ainda são escassas. Tornar o hábito da leitura em algo costumeiro ainda é um desafio, todavia o texto reflete sobre a importância desde fator e mostra os indicativos para tornar a leitura algo de estimado e desejável na sociedade atual.

Em primeiro lugar é necessário conscientizar o lar, a comunidade e a escola, da importância que a leitura tem na formação do cidadão. Tornar disponível o material para que cada aluno ao ter acesso ao livro seja cativado pela história, tomando assim o gosto de ler, é algo necessário e indispensável.  O potencial das histórias em quadrinhos na formação do leitor influencia na formação e no potencial acadêmico do mesmo.  O gosto pela leitura é despertado quando criado situações de leitura no cotidiano do indivíduo.

Se a leitura não for desenvolvida no indivíduo, fica comprometida sua prática social em sua comunidade. Tanto do ponto de vista dos livros, como da comunidade, a leitura deve ser motivada, para que o cidadão saiba viver com práticas acertadas e tornar-se influente através de seus saberes na comunidade em que vive. A história em quadrinho amadurece a relação emocional entre leitor e leitura. O objetivo das histórias e da leitura é gerar leitores nas comunidades com abrangência em seu conhecimento com capacidade da crítica, argumentação e o discurso próprio que são advindos da leitura.

Os professores devem ter consciência sobre a importância em dispor das histórias em quadrinhos para seus alunos. Cada gestor deveria ter em mente a criação de bibliotecas com o incentivo da leitura de histórias em quadrinhos, bem como ter consciência na importância desta atitude.  A importância dos programas educacionais para atender a necessidade das escolas na criação de bibliotecas escolares deveria ser requerida com mais veemência e cobrança pelos educadores. Não são apenas os problemas econômicos que impedem o crescimento das bibliotecas escolares principalmente na esfera pública, mas a falta de articulação dos profissionais da educação.


Por isso é necessário atitudes que geram resultados para estas expectativas comprovadamente necessárias no lar, na comunidade como também na escola. A conscientização aos pais, para a aquisição de materiais infantis, deveria ser midiática, tornando assim um incentivo necessário da leitura nos lares. O governo através dos representantes da educação deveria condicionar os livros para que cada lar tivesse disponibilidade em adquirir os materiais.  A comunidade por sua vez deveria ser bombardeada por todos os meios de comunicação, tanto à aquisição, o incentivo como a cobrança na aquisição de livros. A disponibilização das histórias em quadrinhos ao leitor novato e a facilitação da circulação das histórias em quadrinhos na Escola, No Lar e na Comunidade formam leitores que irão gostar de todos os tipos de obras. Para isso são necessárias a leitura escolar e a Biblioteca Escolar.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

A situação atual da Igreja

“Ame e faça o que você quiser – se você amar, tudo o que fizer lhe trará felicidades e proporcionará felicidade ao outro”.

Santo Agostinho.

No meio cristão ocorre muito descaso e pouco envolvimento para mudar a situação de ignorância dos fieis. Líderes mais preocupados com o “ter” em detrimento do “ser”. A supervalorização do material em detrimento da humanização. O capital intelectual cristão é desvalorizado. Não nos movemos frente à situação, nada mobilizamos para gerar mudanças no quadro eclesial. Parece que tudo já faz parte do nosso cotidiano. Por mais que presenciamos irmãos com necessidades espirituais e materiais, não nos comovemos mais.

Todo ser humanos precisa de respeito, amor e atenção, porque somos seres afetivos vivendo em sociedade dependente uns dos outros para relacionamento e desenvolvimento nas relações interpessoais. E quando não expomos nossas preocupações, afetividades e interesses pela situação dos nossos semelhantes, nos tornamos pessoas, rudes, sem afeto natural, individualistas e distantes do amor cristão.

Apenas detectar os problemas eclesiais, e não fazer nada além da criticidade, não mudará o quadro da igreja nos dias atuais. É necessário atitude e iniciativa para provocar mudanças. Devemos começar por nós mesmo, nossa família, nossos amigos, então haverá diferenças e muitas barreiras serão quebradas.
Quando olhamos para a situação eclesiástica, desanimamos, pensamos não haver reversão na situação a qual está a igreja. Mas quanto maior o desafio, maior dever ser nosso empenho para superar a dificuldade. O sabor da vitória é muito gratificante, pois, quando olhamos nossa herança sabemos que tivemos coragem de agir e deixar plantado no nosso legado a conquista.


A mudança deve começar por nós, façamos a diferença.

Geziel Silva Costa

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Interceptação Telefônica (playlist)

quarta-feira, 1 de maio de 2013

CONFLITOS NA FAMÍLIA (Lição 5)


VALORIZAÇÃO DA FAMÍLIA

O ser humano se desenvolve no seu ambiente familiar. As relações sociais e familiares conduzem o ser humano do estado de mais ignorante para o mais desenvolvido e inteligente. O ser humano é fruto de relações, desde o nome, a inteligência, o pensamento são nele implantado no seio familiar, escolar e social. Deus criou a família e criou as normas para o crescimento e desenvolvimento. A família nuclear é composta de um homem, sua mulher e a prole. A figura paterna e materna é fundamental para o desenvolvimento do ser.

O objeto de amor da criança é a mãe. No século XVIII as crianças eram vistas com indiferenças friezas e certo desinteresse, pois a criança era vista como inacabada e imperfeita.  A fragilidade era notória na vida das crianças, e devido a isto, o índice de mortalidade infantil se tornou enorme, assim a frieza e indiferença da mãe causava menos sofrimento a ela quando a criança morria. É a partir do pai que a criança inicia seu desenvolvimento. A organização familiar se constitui a partir da ordem. O homem é a autoridade no lar. A autoridade na verdade é proveniente do pai e da mãe, a mãe também tem poder sobre a criança. Mas a autoridade está ligada ao pai como autor da vida da criança. A criança despreza todos os pais que o tratam com tirania, mas por outro lado desrespeita todo aquele que afrouxa sua autoridade. Não é autoritarismo, mas o princípio de autoridade que repousa nas costas do homem é:

1-   PROTEÇÃO. O homem é responsável por proteger a esposa e os filhos, dando abrigo, cuidado e atenção. Mas acima de tudo, proteger o lar com sua capacidade espiritual. A presença paterna deve ser desejada não apenas nos aspectos físicos, mas sentimental, social e espiritual.

2-     PROVISÃO. O pai de família é responsável por prover as vestimentas, o alimento, a saúde e todas as necessidades necessárias. O trabalho do homem deve ser a provisão de sua família (Gn 3.17 e Sl 128.3). O trabalho dignifica o homem, ele deve gostar de trabalhar, a mulher é sua ajudadora. O trabalho do marido é prover e seu lar é abençoado por isso. 

3-   PROMOÇÃO. Promover aquilo que se quer, os filhos tem o direito à educação, e cabe ao pai promover a educação de seus filhos. A orientação para a promoção do seu lar é proveniente do marido.

4-     COESÃO.  Os conflitos familiares devem ser amenizados pelo líder familiar. As diferenças entre os filhos devem ser solucionadas, as ideias devem estar ligadas umas às outras.

5-   LIDERANÇA. O líder deve conseguir bons resultados para a sua família através do empenho, da preservação, do incentivo, do crescimento e da maturidade familiar, preservando a harmonia e o bem estar da família. 

6-      VISÃO.  É a ideia de Deus revelada ao homem para que ele execute bem a sua vontade, e quem tem a visão de Deus não executa coisas medíocres, mas busca as melhores para a sua família levando a um patamar elevado de harmonia espiritual e material.

Três coisas que os pais devem deixar aos filhos. Exemplo, exemplo, exemplo.
Na família o indivíduo recebe limites.  A Sociedade está bagunçada (lei da palmada) extingue a disciplina dos filhos contrariando a Bíblia. O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga. (Pv 13:24). Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele (Pv 22.6).

A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela (Pv 22.15) Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá (Pv 23.13) A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe (Pv 29.15).

Nenhuma sociedade é mais forte que sua família, seus laços. A fortaleza vem dos laços heterossexuais. Toda a história da raça humana está sustentada num homem e mulher, pois o homem e a mulher são o posto e complexo se unindo para o equilíbrio e formação social.

Geziel Silva Costa

sexta-feira, 19 de abril de 2013

A Morte de Dave HUnt




O primeiro livro que li de Dave Hunt foi a Sedução do Cristianismo, depois Escapando da sedução, A mulher Montada na Besta vol. I e II, O valor da profecia, A batalha pelo controle da mente, O evangelho sem concessões, a hora da verdade sobre o Islã, Um apelo à razão- Criação ou evolução? Procurando e encontrando Deus- em busca da verdadeira fé, Israel no centro do cenário profético, o dia do juízo! O Islã, Israel e as nações, cosmo criador e destino humano e outros, fora os inúmeros DVDs. Como é notória, a dedicação, o conhecimento, a luta pela verdade e a contribuição de Hunt foi precisa não apenas a mim, mais a inúmeras pessoas espalhadas pelo mundo, uma vez que os seus livros e suas palestras alcançaram o planeta. Mas aprouve a Jeová levá-lo, restando apenas o legado e o exemplo de fidelidade e dedicação de Hunt.
Geziel.

Fonte chamada da meia noit

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Análise da reportagem da revista época com Daniela Mercury




A própria revista declara inimizade contra Feliciano quando diz que ele por suas declarações contra negros e gays se torna o inimigo número um das minorias no Brasil. A inimizade não parte de Feliciano, pois nas igrejas evangélicas são inúmero os ex-homossexuais que abandonaram a prática.

A revista ainda alardeia que as declarações de Daniela "é um manifesto poderoso” sobre os direitos das diferenças. O manifesto poderoso que a revista exagera em dizer é o apoio conivente da mídia e da imprensa e os artistas simpatizantes à prática. E que o casal gostou da reação dos brasileiros. Que Brasileiros apoiam essa prática? Esse apoio não é proveniente de mais de vinte milhões só de Assembleianos, mas sim (como eles gostam de enfatizar) das minorias e o alarde da mídia.

A cantora diz que seu objetivo saindo do armário é tornar natural o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nem a constituição nem a maioria dos brasileiros vêem naturalidade nesta prática. É só observar as enquetes nos sites de grande acesso e perceber a rejeição da população.

Daniela disse que está assustada e estarrecida com a permanência de Feliciano na CDH. Estarrecidos e assustados estão o povo brasileiro com a violação da constituição e com os condenados do mensalão no poder.

A revista ainda enfatiza que Feliciano representa apenas os 211 mil votos que recebeu. Sendo assim Jean Wyllys representa os seus 13 mil votos. Época ainda faz questão de dizer que na Inglaterra e nos EUA esta prática acontece naturalmente. Acontece que nem a Inglaterra, nem os EUA com seu ceticismo, esfriamento espiritual, relativismo moral, e decadência familiar com inúmeros suicídios são exemplo para o Brasil.

Época ainda diz que no Brasil, ainda é perigoso alguém sair do armário, tendo em vista a discriminação dos evangélicos. Não conheço uma nota da imprensa que publicou algum homossexual sendo agredido por evangélico. Perigosas, assustadoras e estarrecedoras, são as declarações do ativista gay Márcio Retamero, na câmara dos deputados dizendo se possível for pega em armas contra os cristãos que defendem a família.


Texto escrito por:
Geziel Silva Costa. 

domingo, 7 de abril de 2013

O casamento bíblico


A história humana e a Antropologia estudando a cultura passada mostram-nos a existência da família e as mudanças ocorridas ao longo dos tempos. Para a maioria das pessoas, desde a antiguidade o conceito de família é a família nuclear, pai, mãe e filhos. Mesmo que os filhos sejam adotivos. Esta é a forma mais conhecida e valorizada em nossos dias, a família nuclear segunda (Dando Prado em seu livro: O que é família. pág.8, de 1980). Sobre os problemas familiares é de fácil entendimento porque cada um tem os seus.

Em relação à posição das crianças nos lares e na sociedade, bem como o papel econômico dos pais, ditam o surgimento de uma nova estrutura social. Se a instituição familiar muda, toda a sociedade também. Vemos o Estado intervindo no papel dos filhos, legisla sobre a educação obrigatória, a partilha de bens etc. Vemos que o fator social (a sociedade e suas influencias) domina sobre o fator natural (família). Por isso a constante quebra de paradigmas em nossa família cristã.

Sempre a separação de um casal, de acordo com PRADO, traz conflitos entre os filhos, pois estes sentem falta da união familiar, nas datas comemorativas e a comunhão peculiar de uma família na vida diária. Esta falta de referência familiar causa tristeza nos afetados por ela. A família desenvolve a sociabilidade afetiva como também o bem estar físico e emocional principalmente na infância.

Na segunda guerra mundial, com a ausência do sustento masculino, pois os homens foram convocados para a guerra, as mulheres foram obrigadas a deixarem os lares e o cuidado da casa e dos filhos, para irem a busca de sustendo através de seus trabalhos, semelhante ao pai de família agora ausente. Surge a necessidade das creches neste período, o aumento de salários para a classe trabalhadora feminina, pois as mulheres ganhavam menos que os homens. A aceitação do emprego feminino no mercado de trabalho estava estabelecida.

Os laços familiares hoje estão enfraquecidos devido a responsabilidade de socialização das famílias estarem em decadência. As crianças, os adolescentes e os jovens, preferem reunir-se com grupos de sua faixa etária para os momentos de afetividade e sociabilidade, do que estarem reunidos com a família nuclear.  Para PRADO, os adolescentes e jovens de hoje, não veem na figura dos pais e avós ou pessoas de mais idade, a transmissão ou referencial para a experiência de vida, alguém de quem devam receber conselhos. Não são mais dignos de admiração, conhecimento e respeito, mas sim como pessoas retrógradas.

Cada vez mais os membros familiares em especial os jovens querem sua independência, reivindicam a autoridade dos pais com a ajuda dos meios de comunicação o que não deixa de ser um autoritarismo. Nesta sociedade moderna, os valores morais, a troca e inversão de valores têm deteriorado padrões familiares causando a decadência da família. Os meios de comunicação atacam princípios considerados por eles obsoletos e ultrapassados como o namoro, noivado e casamento. Alguns pais já aceitaram a troca destes valores, até o sexo hoje na sociedade hodierna, é tido com bem de consumo.

Nas palavras do poeta: “Ouço um grito! Alguém está afogando-se no mar da incerteza, há um desespero na praia da vida. Oh! É a família que está morrendo, está afogando-se com a imoralidade, vejam que situação! Quem poderá ajuda-la? A célula mãe precisa de sua ajuda, não a deixe morrer, faça alguma coisa pela família”. Levem sua família à igreja, não a deixe ser levada pelas enxurradas deste mundo, alimente-a com a palavra de Deus. Venha neste trimestre estudar sobre a família, assim você poderá dizer como Josué: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Js 24.15”.

Geziel Silva Costa

sexta-feira, 8 de março de 2013


A mulher é companheira e adjutora

Sem a mulher nosso mundo é solitário, triste e sem inspiração

A mulher nos inspira, (Adão se tornou poeta ao ver Eva) "Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada".

A mulher é uma beleza indescritível, é diferente totalmente do homem

É exatamente esta diferença que nos completa, é nossa outra metade

A fala, os sentimentos, o corpo, a maciez da pele, o andar, a percepção,

as emoções e todas as qualidades femininas impressionam o homem.

É o diferente que nos atrai que causa admiração, que nos completa.

Essa diferença deve ser compreendida, analisada e compartilhada e 
gozada juntos.

"Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta é a tua porção nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol". Eclesiastes 9:9

O homem ganhou este presente do próprio Deus. "A casa e os bens são herança dos pais; porém do SENHOR vem a esposa prudente". Provérbios 19:14.

A solidão que o homem sente pela falta da mulher é verdadeira. "Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele". Gênesis 2:18

Muita sorte a todos que estão em busca de sua companheira, e felicidades àqueles que já encontraram a sua mulher. "Aquele que encontra uma esposa acha o bem, e alcança a benevolência do SENHOR". Provérbios 18:22.

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER
Geziel Silva Costa

sexta-feira, 1 de março de 2013

A renúncia de Joseph Ratzinger (Papa Bento XVI)


Joseph Ratzinger é considerado uma das mentes mais brilhantes na história da Igreja. Seu conceito sobre a Moral, cultura e existencialismo são admirados até por céticos. A sua questão foi lidar com o materialismo que desagrega e assola a igreja, e não só a Romana, mas a pentecostal também.  Durante seu poder o Vaticano maculou tal conceito elevado de moral com os sucessivos abusos de pedofilia como a corrupção no banco do vaticano. A Hierarquia reacionária da cúria negou e ocultou deixando Joseph Ratzinger sem condições de exigir punições, o que o deixou desapontado e sem interesse na continuidade do papado.

O desejo de Joseph Ratzinger era reverter a corrupção e acabar com os escândalos morais, mais a instituição a que servia, estava comprometida com o desserviço à moral e ética, ganhando o páreo contra Joseph Ratzinger.
Joseph Ratzinger continuou defendendo dogmas antigos da Igreja contra o aborto, homossexualismo e a Teologia da Libertação embasada em conceitos Marxistas. Com estas afirmativas, Joseph Ratzinger recebe a fama de ser retrógrado e antiquado. Mas parece que Joseph Ratzinger pensava como papa em fortalecer as doutrinas dogmáticas da igreja. E o caminho para esse fortalecimento seria combater a corrupção e o relativismo moral que perpetua na Igreja.

Joseph Ratzinger sempre tinha o costume de proteger a maior herança da igreja, a alta cultura clássica e renascentista que a igreja preservou e difundiu no ocidente. A renúncia de Joseph Ratzinger, não é covardia nem desistência por idade avançada, mais uma resistência firme e decidida contra as mazelas morais infiltradas na igreja. Parece mais um desejo de renovo, a renuncia de Joseph Ratzinger fortalece suas convicções, com esta atitude ele está dizendo: Não concordo com uma igreja deprimentemente miserável e corrupta com a moral e os preceitos dogmáticos.

Geziel Silva costa



quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A capa de Veja me chamou atenção pelo fato de dizer que a revolução sexual no Facebook era a mais nova ousadia. O aplicativo Bang With Friends está a serviço para encontrar parceiros sexuais, e a notícia é que em 15 dias 500 mil usuários estão à mercê desta sujidade. Fico estarrecido, por ver os valores da família sendo desrespeitadas através dos BBBs frívolos, novelas vulgares, programas televisivos triviais sem nada a oferecer, governos sem programas familiares mais a benefício da promiscuidade. Quais são os limites do comportamento social? Uma sociedade sem limites auto se destrói.

O Facebook que tem muitas outras finalidades como debates políticos sadios, relacionamentos familiares e outras infinidades de vantagens, também pode ser uma ferramenta da promoção da promiscuidade. As coisas sem valores morais são as que mais proliferam m. Ainda sou do tempo da conquista, da conversa, da amizade (não apenas a virtual), um namoro sadio e um casamento estável. Isso tudo nos dias atuais é retrógrado. A ideia hoje é entrar no face e escolher o parceiro (a), que é mais um objeto de uso e mandar um convite para transar, depois cada um toma seu rumo.

Estamos em outro tempo, uma reportagem que agride a inteireza humana, abala os valores morais e familiares, principalmente num país que o cristianismo jugula, e não há reações, manifestações de protesto, creio que os tempos mudaram mesmo. O que importa é a infidelidade conjugal, a solução contra as doenças e a gravidez indesejada é o uso da camisinha. A ideia é trair, divorciar, e aprovar os programas de governo que legalizam tudo, que é proibido proibir. Os tempos mudaram e mudaram para pior.

A reportagem de veja leva-nos a preocuparmo-nos com nossos filhos, jovens e adolescentes. Os que eles estão fazendo, ou com quem estão se relacionando? Será se não estão à disposição de pedófilos? Podem estar correndo risco com outros mal intencionados. Leiam a reportagem e reflitam sobre as condições atuais da nossa sociedade e a direção que ela toma.

Geziel Silva Costa

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Palestras na Feics


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

"A FAMÍLIA CRISTÃ NO SÉCULO XXI: PROTEGENDO SEU LAR DOS ATAQUES DO INIMIGO"


Comentarista: Pr. Elinaldo Renovato
Lição 1 - Família, Criação de Deus                                                                             
Lição 2 - O Casamento Bíblico                                                                                    
Lição 3 - As Bases do Casamento Cristão                                                                
Lição 4 - A Família Sob Ataque                                                                                   
Lição 5 - Conflitos na Família                                                                                      
Lição 6 - A Infidelidade Conjugal                                                                                
Lição 7 - O Divórcio                                                                                                        
Lição 8 - Educação Cristã, Responsabilidade dos Pais                                         
Lição 9 - A Família e a Sexualidade                                                                           
Lição 10 - A Necessidade e a Urgência do Culto Doméstico                                  
Lição 11 - A Família e a Escola Dominical                                                                  
Lição 12 - A Família e a Igreja                                                                                        
Lição 13 - Eu e Minha Casa Serviremos ao Senhor