Alerta Final

Visite a página no face book geziel.costa

sexta-feira, 29 de abril de 2011

A biografia e o ministério de Daniel Berg



Daniel Gustav Högber nasceu e cresceu na cidade de Vargon na Suécia. A data de nascimento é 19 de abril de 1884. Os pais de Berg, Gustav Verner Högberg e Fedrika Högberg, eram membros da Igreja Batista. Berg foi batizado nas águas aos 15 anos de idade em 12 de fevereiro de 1899 juntamente com seu amigo de infância Lewi Petrus.

Mas devido a uma crise financeiro que chegou a Suécia na época, Berg viajou para os EUA a bordo do navio M.S.Romeu em 25 de março de 1902 na expectativa de uma vida melhor. Trabalhou durante sete anos na América como fundidor.

Ao voltar à Suécia para visitar seus pais, Berg encontrou seu amigo Lewi Petrus, agora pastor de uma igreja avivada em Lidköping, e o desejo peja obra ardeu em seu coração. De retorno aos EUA foi batizado com o Espírito Santo.

Em Chicago quando participava de uma conferência bíblica, conheceu Gunnar Vingren. Em certa ocasião, o Senhor falou ao seu coração que procurasse Vingren. Ele então foi a South Bend no estado de Indiana onde contou a Vingren o que acontecia. Passaram a orar juntos, foi quando Deus revelou sua vontade através de uma profecia revelando o campo missionário no Pará.

Daniel Berg pediu demissão, e seu patrão além de fazer o acerto do trabalho, ainda lhe deu uma bolacha e uma banana. Isso simbolizava o desejo de não faltar suprimentos ao amigo, era uma tradição americana.

Berg chegou solteiro ao Pará no vigar da juventude aos 26 anos de idade e permaneceu solteiro até 1920. Deus sempre chama a juventude comprometida para a sua obra. Foi assim com José, Davi, Samuel etc. De volta para visitar a Suécia, conheceu uma linda Jovem, Sara Ber, e se casou com ela em 31 de julho daquele ano, e vieram morar no Brasil em 21 de março de 1921. O senhor lhes concedeu David e Deborah. O administrador do blog Alerta Final conheceu David pela primeira vez em Belém Pará. Em outras ocasiões aqui no Grande Templo em Cuiabá.

Daniel Berg foi homem de coragem. Deixando o desenvolvimento da Europa, e desbravando a Amazônia, enfrentando enchentes, rios, cachoeiras a bordo de perigosa canoas e barcos. Andavam a pé, correndo perigo de feras, doenças como a febre amarela, malária e outras. Mas foi assim com Paulo e com todos que tem uma chamada para fazer a obra de Deus. Este é o verdadeiro significado do viver da obra.

Trabalhando na Companhia Port of Pará (hoje Companhia Dorcas do Pará) trabalhava para pagar as aulas de português que Vingren estudava. Enquanto ele trabalhava, Vingren estudava, e à noite Vingren ensinava o português a Berg. Com o restante do salário, Berg importava literaturas dos EUA, e distribuía Bíblias em português aos paraenses. Poucas pessoas sabiam ler, mas Berg visitava casa por casa, as famílias em todos os bairros e ruas.

Daniel Berg foi um homem de coragem, andando pelas ilhas, carregando suas duas malas, uma com suas roupas e outra cheia de bíblias para evangelizar. A estrada de ferra de 400 km, muitas vezes fez este percurso a pé. A ponto de seus pés incharem. Numa de suas viagens pelos rios, estava em uma canoa quando de repente ela foi envolvida por um redemoinho, e naufragou. Berg nadou entre os jacarés para sair da água. Até no hospital quando doente, ele distribuía folhetos. Em 1963 andava evangelizando no hospital onde estava internado mesmo com a saúde frágil, e os cuidados da enfermeira que insistia que ele parasse.

Daniel foi um homem simples e humilde, quando vinham as lutas e tribulações, apenas glorificava a Deus. Caminhando pelas ruas de Belém, enchia os bolsos de manga, e ia chupando mangas pelas ruas. Mudou-se para Vitória (ES) em 24 de Janeiro de 1922. Na comemoração dos 50 anos da Assembleia de Deus, Jubileu de Ouro, esteve em Belém para as celebrações. Foi condecorado pelo Pastor Paulo Leivas Macalão no Maracanãzinho com uma medalha de ouro. Mas a glória dava à Deus o dono da obra.

Berg não recebeu os cuidados e as honras que merecia. O próprio irmão Adriano Nobre reconheceu isto quando escreveu na extinta Revista Seara. Berg e sua família voltaram definitivamente para a Suécia em 1962. O Senhor recolheu Berg para o paraíso no dia 28 de maio de 1963, quando Berg tinha 79 anos. Na Suécia, onde estão seus parentes sepultados, ali também está Daniel Berg, que partiu feliz, e com a certeza da salvação.

Hoje perto do aniversário de 100 anos da igreja, ela se tornou grande e poderosa pelo Senhor Jesus Cristo. Registrados na CGADB há mais ou menos 40 mil pastores escritos. Hoje os membros são contados em milhões de pessoas. Mas ainda precisamos fazer muito tomando o exemplo de Berg. A nação vive afundada no pecado, idolatria, corrupção, vícios e outras mazelas sociais, e acima de tudo espiritual. Precisamos mergulhar de volta no ministério da evangelização.

9 comentários:

Ivanildo disse...

Sou católico,admiro muito da saga,coragem e trabalho desse pastor,com sua simplicidade e dedicação nos deixou um bom exemplo a ser seguido. Daniel Berg filho de DEUS e verdadeiro PASTOR.
Se tivesse entre nós ficaria muito triste com a conduta de muitos "pastores" com sede de poder com muita ganância .
Vamos HONRAR o legado que Daniel Berg deixou . Sou paraense de Belém e me orgulho dessa obra, 100 anos.

Elizelda Araujo disse...

O crescimento da AD no Brasil deveu-se ao fato de que cada convertido era um novo missionário. O que aconteceu com esta igreja? Hoje os convertidos, apenas vestem-se de uma capa de assembleiano. Será que o nome de "maior igreja pentecostal no Brasil" tem algum valor, se desvinculado do compromisso de anunciar o REINO DE DEUS e viver nele?
Clamemos ao Senhor por misericórdia para que os líderes e membros abram os olhos para o fato de que a Igreja é do Senhor e não dos "fariseus e saduceus" como no tempo de Cristo o era o judaísmo.
A Paz do Senhor Jesus Cristo seja com a Igreja.

Geziel Silva Costa disse...

Olá Ivanildo!

Na verdade Daniel Berg vai sempre ser lembrado por estar vinculado à Assembléia de Deus.

A coragem e a disposição de Daniel mostrava que ele sabia o que queria, o que fazia, e estava disposto a alcançar sua meta, (almas para Cristo)e assim o foi.

Grande abraço
Geziel

Geziel Silva Costa disse...

Elizelda Araujo!

Sentimos falta dessa evangelização individual por cada crente. Suas palavras servem para despertamos e se posicionarmos de volta ao campo de batalha no resgate de almas através da evangelização pessoal e em massa.

Na paz
Geziel

Christian Girardi disse...

Como todo mundo devia seguir a palavra de Deus.Olha o esforço que Daniel Berg fez para levar evangelização nas casas em Belém do Pará.Quanto tempo faz que eu nao vejo mais aqueles irmãos levando a palavra de Deus nas casas de quem precisa escutar uma palavra.

Geziel Silva Costa disse...

Olá Christian Girardi!

Precisamos mesmo voltar ao primeiro amor.

Abraços
GSC

Henrique disse...

Faltou mencionar que Berg e Gunnar Vingren racharam uma igreja Batista levando os dissidentes consigo e aí sim, fundando a Assembleia de Deus.

Geziel Silva Costa disse...

Henrique,

Na verdade eles não racharam nada e nem levaram ninguém. Mas a história e os registros de atas tanto da Igreja Batista quanto da AD, relatam que foram expulsos do porão da Igreja Batista. Os crentes batistas que convidaram eles a morarem e congregarem com eles, foram excluídos, por aderirem ao batismo com Espírito Santo.

Zafenate Panéia disse...

Concordo plenamente, eles não racharam nada, o que aconteceu na verdade é que ELES (Daniel berg e Gunar Vingrem) foram expulsos da Igreja Batista por causa da novidade do BATISMO COM O ESPIRITO SANTO.