Alerta Final

Visite a página no face book geziel.costa

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Análise da reportagem da revista época com Daniela Mercury




A própria revista declara inimizade contra Feliciano quando diz que ele por suas declarações contra negros e gays se torna o inimigo número um das minorias no Brasil. A inimizade não parte de Feliciano, pois nas igrejas evangélicas são inúmero os ex-homossexuais que abandonaram a prática.

A revista ainda alardeia que as declarações de Daniela "é um manifesto poderoso” sobre os direitos das diferenças. O manifesto poderoso que a revista exagera em dizer é o apoio conivente da mídia e da imprensa e os artistas simpatizantes à prática. E que o casal gostou da reação dos brasileiros. Que Brasileiros apoiam essa prática? Esse apoio não é proveniente de mais de vinte milhões só de Assembleianos, mas sim (como eles gostam de enfatizar) das minorias e o alarde da mídia.

A cantora diz que seu objetivo saindo do armário é tornar natural o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nem a constituição nem a maioria dos brasileiros vêem naturalidade nesta prática. É só observar as enquetes nos sites de grande acesso e perceber a rejeição da população.

Daniela disse que está assustada e estarrecida com a permanência de Feliciano na CDH. Estarrecidos e assustados estão o povo brasileiro com a violação da constituição e com os condenados do mensalão no poder.

A revista ainda enfatiza que Feliciano representa apenas os 211 mil votos que recebeu. Sendo assim Jean Wyllys representa os seus 13 mil votos. Época ainda faz questão de dizer que na Inglaterra e nos EUA esta prática acontece naturalmente. Acontece que nem a Inglaterra, nem os EUA com seu ceticismo, esfriamento espiritual, relativismo moral, e decadência familiar com inúmeros suicídios são exemplo para o Brasil.

Época ainda diz que no Brasil, ainda é perigoso alguém sair do armário, tendo em vista a discriminação dos evangélicos. Não conheço uma nota da imprensa que publicou algum homossexual sendo agredido por evangélico. Perigosas, assustadoras e estarrecedoras, são as declarações do ativista gay Márcio Retamero, na câmara dos deputados dizendo se possível for pega em armas contra os cristãos que defendem a família.


Texto escrito por:
Geziel Silva Costa. 

5 comentários:

Raquel Ferreira disse...

Concordo , por isso cabe a nós evangélicos lutar pela mesma causa. Não podemos nos mostrar fracos no dia da angústia, mas fortes, para vencermos e não sermos vencidos.
E Geziel seu blog esta massa hein... Deus lhe abençõe sempre

Geziel Silva Costa disse...

Olá Raquel Ferreira!

Obrigado pela vista e pelas palavra motivadoras, volte sempre.

Geziel

Luiz disse...

Exelente tratamento ao ponto, o assim como eu não tenho problemas com os gays, mesmo porque na minha familia tem, e os trato normalmente. Não concordo com a criminalização de ser hetero. Se sou conciderado homofobico, condeno os heterofobicos, eles sim querem pegar em armas e colocar uma mordaça gay na boca de quem não quer super poderes a uma minoria que assim como todo brasileiro tem cobertura legal, na parte da descriminação, mortes e espancamentos. Falta sim vontade politica para condenar quem descrimina, espanca, mata alguem com opção sexual diferente.

Vsleu té mais

Luiz disse...

Apenas complementando, vamos fazer de conta que um casal homosexual, vai contratar uma babá para cuidar do seu filho(a), enquanto eles trabalhão.
Chega na sua porta uma senho visivelente evangélica, com todos os requisistos, experiência etc..... alguém aqui acha que ela será contratada. Na cebeça deste casal, mesmo a Srª bem qualificada, ficara uma dúvida.... ela o dia inteiro com nossa criança, e se ela for perguntada sobre que a criança tem dois pais, ou duas mães, oque lea falará...vai falar sobre a Bíblia.... duvido que esta Srª seja contratada. Ela irá embora e tudo bem.
Mas caso esta PLC seja aprovada, se eu não quiser uma babá homosexual, e esta pessoa se sentir descriminada , eu poderei ser preso....

Para se pensar....

Geziel Silva Costa disse...

Olá Luiz,foi boa suas palavras, obrigado pela visita.

Abraços