Alerta Final

Visite a página no face book geziel.costa

terça-feira, 7 de junho de 2011

A igreja de Belém fazendo missões

Devido aos excessos, hoje os dons espirituais tem sido confrontado. Precisamos preservar os ensinos bíblicos, como a Assembleia de Deus que nasceu sobre as doutrinas bíblicas ensinadas diligentemente.

A contribuição que Belém teve com a missão foi fenomenal. A chama do evangelho logo se alastrou pelos bairros, cidades e estados vizinhos atingindo assim a nação brasileira. Os cultos nos lares, com a evangelização gerava ovelhas, e o Senhor ordenava novos pastores para o rebanho.

Com a saída dos missionários e vários irmãos, da Igreja Batista, causou ira e furor principalmente pelo sucesso, milagres e salvação. Desencadeou uma grande perseguição e difamação contra os missionários. As demais congregações se uniram na perseguição para evitar a perca de membros para os missionários. Os veículos de comunicação também foram usados no combate à “Nova Seita” como eram chamados.

O Jornal Folha do Norte, enviou um repórter disfarçado entre os irmãos, para escrever uma matéria que desmoralizava a igreja. A reportagem causou grandes expectativas. O Aleluia e Glórias a Deus eram motivos de zombarias, as crianças, jovens e adultos eram menosprezadas nas ruas. Os curiosos querendo conhecer mais sobre a tal nova seita, forma aos cultos, até o repórter escreveu depois: “Nunca vi uma reunião tão cheia de fervor, sinceridade e alegria entre os crentes”. O resultado era salvação de almas.

Por muitos anos a igreja sofreu agressões físicas, apedrejamento que faziam os irmãos sangrarem. Casas eram destelhadas, cultos eram cancelados quando ameaçados pelo perigo. Certa ocasião ao longo do culto alguém bardou: “Oxalá uma onça devorasse esses pregadores de novidades”! Pouco tempo depois em sua casa, uma onça invadiu o quintal do individuo que gritou e o devorou. Caiu então um temor sobre a pequena comunidade que entendeu ser uma ação divina.

O crescimento de Belém era socioeconômico, e o ciclo da borracha favorecia este crescimento. As exportações cresceram grandemente, muitas pessoas estrangeiras circulavam pelas ruas da cidade de tal forma que os missionários não tiveram dificuldades em encontrar um intérprete ou alguém que dominassem o idioma deles assim que chegaram à cidade.

Porque Deus não escolheu o sul do país? Mais populoso, desenvolvido, clima afável parecido com o da Europa? Porque escolheu o norte? Região subdesenvolvida, rodovias ruins, condições de vidas precárias, dificuldades etc.?

Todas as denominações que começaram os seus trabalhos do sul ao norte, dificilmente chegaram à região norte. Prova disto é que muitas denominações que existem no sul, não encontramos no norte. Vemos a ação de Deus, dirigindo os missionários de norte a sul, fundando os trabalhos. Assim como à igreja primitiva estava ordenada pregar de Jerusalém, Judéia, Samaria aos confins da terra, os missionários alcançaram todo o Brasil, e mais alguns países a partir do norte.

O fogo do avivamento se espalhou por Soure, Mosqueiro, Vigia, Quatipuru, Igarapé-açu, Benevides, Capanema (o administrador do Alerta Final participou de uma convenção estadual em Capanema, uma bênção) Timboteua, Peixe-boi, Vila São Luís, Bonito etc.

Com o trabalho crescendo, houve a necessidade de separar obreiros para o trabalho do Senhor. Os primeiros pastores nacionais foram: Isidoro Filho (1912) separado por Gunnar Vingren. Absalão Piano (1913) obreiro no rio Tajapuru. Crispiano Melo, Pedro Trajano, Adriano Nobre, Clímaco Bueno aza, João Pereira de Queiroz e José Paulino Estumano de Moraes.

Os pastores estrangeiros, residentes no Brasil, salvos pelas mensagens pregadas pelos missionários foram: Bruno Skolimowski (polonês que chegou a Belém em 1909, separado dia 02 de março de 1921). Da Hungria João Jonas, salvo em Santa Isabel do Pará em 1933. Este evangelizou e ganhou para Jesus o pastor Alcebíades Vasconcelos.

A igreja se torna missionária e em 1914 enviava oferta aos missionários da China. Enviados a Portugal como missionário José Plácido da costa (1913), José de Matos Caravela (1921) com suas respectivas famílias. Eles fundaram a Assembleia de Deus em Portuguesa em 1924, e estenderam a mensagem até as cidades Lusitanas chegando também em Angola e Moçambique.

O estudo da palavra sempre esteve como prioridade na igreja. Assim em 1911 iniciou-se a Escola Dominical na congregação que estava na casa do irmão José Batista de Carvalho. Posteriormente iniciaram-se as escolas bíblicas para obreiros. Entre março e abril de 1922 o pastor Samuel Nyström dirigiu a escola.

Os institutos bíblicos por sua vez, encontraram dura resistência durante décadas. Os missionários e pastores argumentavam que a formação teológica gerava o formalismo. Os missionários e pastores tinha receio que o mesmo esfriamento espiritual que invadia a Europa, fosse possível através dos institutos. A proibição dos institutos bíblicos se deu em 1948 numa convenção geral.

Cinquenta anos depois da fundação da Assembleia de Deus, é que tomaram a iniciativa de fundarem institutos bíblicos. O casal João Kolenda Lemos e Ruth Dóris Lemos fundaram em Pindamonhangaba SP dia 18 de março de 1959 o IBAD (Instituto bíblico das Assembleias de Deus). Hoje temos vários institutos e faculdades voltados ao ensino teológico.

6 comentários:

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

Estou muito alegre por fazer parte dessa igreja pentecostal, amo o pentecoste.Mas estou muito triste porque a nossa igreja esta abandonando o ensinamento dos pioneiros, quanto aos bons costumes que estão sendo deixados de lado em nome de uma modernidade mundana. Eu amo a os bons costumes, eu os guardo desde que aceitei a Jesus. Minha oração e que a nossa amada igreja volte ao primeiro amor.

Geziel Silva Costa disse...

Olá Geraldo!

A grande questão que fica no ar é:
Como caminhará a igreja pós-centenária?

Abraços
Geziel

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

Vejo que o senhor tem um profundo conhecimento da historia das assembleia de Deus.Igreja que eu amo e faço parte dela.Por isso queria que o senhor falasse alguma coisa sobre a trajetoria,e mudança dos usos e costumes, pois esse assunto me interressa muito, fico muito triste quando veja alguem dizer que a assembleia e legalista.Eu guardo com muio prazer os bons costumes que sempre foi a indentidade do assembleiano.Estou lhe pedindo isso por que so vejo pessoas criticando os bons costumes e os poucos que tentam defender o os bons costumes são despreparados, mas pelo que vejo o senhor tem um profundo conhecimento e fonte de informação historica da assembleia de Deus. Caso o senhor não queira postar sobre isso, pelo menos me envia alguma fonte pra mim pesquisar. Queria aproveitar e convida-lo a visitar meu blog.
diaconogeraldocardoso.blgospost.com

Geziel Silva Costa disse...

Olá Geraldo!

Fico alegre em ter você neste espaço.vejo sinceridade em suas palavras. Na verdade, o embate entre os que defendem os bons costumes, e os que atacam,é de longas datas. Mas com certeza tenho minha opinião sobre eles. Atenderei seu pedido escrevendo ou recomendando algo ao irmãos.

Visitarei seu blog
Abraços
Geziel

claudiopimenta disse...

muito interessante

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

Muito obrigado pela visita e participação no meu blog.Com certeza vou aguardar pelo desdobramento do tema.Pra mim o tema e de grande valor.Seu blog e indispensável a um bom estudante das assembleia de Deus.
Por enquanto fica na paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo.