Alerta Final

Visite a página no face book geziel.costa

quinta-feira, 24 de abril de 2008

homossexualismo Pastor Silas Malafaia I


video

video

O Homossexualismo, a cada dia se alastra pelo mundo. Antes era visto pela maioria das pessoas como algo nojento, as famílias achavam isso uma depravação. Conheci famílias que até expulsaram seus filhos após descobrir que eram gays. Hoje a coisa parece tão comum que ninguém mais faz alarde. Ninguém mas se mostra espantado. A mídia contribuiu muito com os homossexuais. As novelas, os atores e artistas e até pessoas de influencias políticas tem ajudado a divulgar esse mal moral.

Talves pelo fato do Anticristo ser um homossexual como afirma o professor Galli? Baseado em Daniel 11.37 ? " E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres..." O movimento a cada dia cresce, e se infiltra em vários setores da sociedade. É um dos principais temas de debates hoje. Eles insistem em dizer que o homossexualismo é uma condição, não uma opção. Mas a verdade é que ninguém nasce nessa condição. Deus fez macho e fêmea, e não meio termo. Com certeza é uma opção, uma escolha e escolha errada, depravada e imoral.

Texto escrito por mim

Geziel S Costa

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Pr. Marcos Pereira no Fantástico

video

A verdade do evangelho liberta. Para isso o filho de Deus se manifestou para desfazer as obras do diabo. Enquanto muitos publicam o pecado que gera a morte, precisamos anunciar o evangelho que liberta. É até para ficarmos surpresos com matérias como essas que o Fantástico leva ao ar. Vemos sempre a mídia denegrindo a imagem dos evangélicos. Será se isso não é mais uma forma de alertar a sociedade? Será se em outras palavras não estão dizendo:" Eles estão crescendo. os evangélicos estão avançando"?


Pelo menos essa matéria tem um lado bom. Está sendo divulgado um trabalho de libertação. O método que o pr.Marcos utiliza para que as pessoas se libertem, já deu muitos comentários. Mas o que está patente é a libertação das pessoas. Chegamos a conclusão que a psicologia, psiquiatria e as cadeias não transformam vidas. O indivíduo passa cem anos na prisão e quando sai, não é transformado, mas as vezes pior que entrou. Mas Jesus liberta.


Geziel S. Costa

segunda-feira, 14 de abril de 2008

2° Seminário de Escatologia (Bairro Coophamil/Cidade Alta-Cuiabá)



Primeiramente quero parabenizar o Pb. Gesiel Costa por este belo blog e pelo seu esmerado empenho na obra de Deus, especialmente no que tange a apologia cristã. Estamos vivendo os últimos dias, precisamos estar atentos as novas heresias, modismos, movimentos contrários a Sã Palavra de Deus. Precisamos defender e ensinar a igreja no que diz respeito a isso tudo. A Bíblia Sagrada já bem nos predisse sobre isso:

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios" (I Timóteo 4.1).

"Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram" (Hebreus 13. 9).

"E TAMBÉM houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição" (II Pedro 2. 1).

Amados, dentro desse contexto em que estamos sendo edificados, estamos atentos e mantendo-nos informados, por meios de estudos, livros, palestras e especialmente este blog. Quero aproveitar esse espaço para rogar as vossas orações e apoio participativo, pois estamos com previsão para o próximo Seminário de Escatologia na Congregação Coophamil – Setor Cidade Alta realizado pela EBD (Escola Bíblica Dominical), agora com o Tema: “AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL” onde o próprio Pb. Gesiel Costa é um dos principais Preletores.

O meu apelo é na participação, divulgação, parcerias, sugestões para que possamos melhorar cada vez mais nossos Seminários para que sejam eficazes em seus Objetivos.
Para tanto amados, desde já agradeço a atenção de todos, o espaço cedido pelo meu amigo e companheiro, estou à inteira disposição para dúvidas e sugestões quanto à intenção do nosso trabalho.


Abraços.

Cuiabá, 14 de Abril de 2008.


Dc. Jhonny Robson de Souza
(Superintendente da EBD)

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Mais uma resposta aos pregadores ( pregadores?) irados e ameaçadores I

Comentário do Pr. Ciro sanches Zibord



Desejo dizer mais uma palavra acerca das ameaças de pregadores (pregadores?) que estão revoltados com o que tenho escrito nos meus livros e neste blog.Como já disse no artigo anterior, certo pregador, em um grande congresso — realizado a menos de duas semanas em uma importante capital brasileira —, verberou contra a minha pessoa, sem economizar adjetivos, e o povo, inclusive pastores, deu glória a Deus (glória a Deus?)!Isso mesmo. Enquanto o ameaçador berrava ao microfone: “Eu quero encontrar esse Ciro no aeroporto...” ou “Esse canalha...”, crentes levantavam as mãos e gritavam: Aleluia”.


Diante das palavras desse pregador ameaçador, eu deveria comparecer aos aeroportos, a partir de agora, de capacete, colete a prova de balas... Mas, sabe de uma coisa? O Senhor Jesus já tem me dado uma proteção muito maior do que uma armadura que preserva apenas a integridade física. Ele me deu a armadura de Deus, mencionada em Efésios 6.10-18.


A essa altura, os leitores podem estar pensando: “O que o pastor Ciro escreveu para deixar esse suposto pastor tão revoltado?” Na verdade, não é de hoje que o tal pregador verbera contra mim em grandes congressos. Soube que ele, inclusive, rasgou diante de um grande público o meu livro Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria. Em sua feroz pregação (pregação?), reafirmou que uma galinha o curou e referiu-se a um trecho da mencionada obra de maneira distorcida.Veja o que diz o referido livro, na página 40, e observe que em momento algum eu cito nomes. Faço, sim, uma ponderação quanto ao fato de ouvirmos testemunhos, no mínimo, estranhos em nossos dias e analiso uma experiência que um certo pregador teve, supostamente, com aves em um galinheiro.


É comum, em nossos dias, ouvir testemunhos para lá de estranhos, como um que virou motivo de zombaria na Internet, pelo qual um famoso pregador afirma que galinhas, em um galinheiro, teriam sido batizadas com o Espírito Santo”. Uma delas, inclusive, teria falado em línguas angelicais, sendo interpretada por um galo!Como servos do Senhor, não devemos interpretar a Bíblia à luz das nossas experiências, e sim estas à luz da Palavra de Deus. Qualquer experiência, por mais extraordinária e fenomenal” que seja, se não tiver respaldo bíblico ou gerar confusão doutrinária, deve ser rejeitada. Não é por acaso que a Palavra de Deus nos ordena provar se os espíritos são de Deus (1 Jo 4.1).Os crentes da igreja de Beréia recebiam de bom grado as pregações, mas as examinavam à luz das Escrituras (At 17.11).


Imagine se um pregador, naqueles dias, dissesse que Jesus batiza galinhas com o Espírito Santo! Com certeza, considerariam tal afirmação blasfema, haja vista distorcer o propósito do revestimento de poder, dado exclusivamente às pessoas salvas, obedientes ao Senhor (At 2.39,38; 5.32).“Deus não usou a boca de uma jumenta?” — Alguém poderá perguntar. Sim, mas, naquelas circunstâncias que envolviam o mercenário Balaão, não havia ninguém, de fato, para ser usado por Deus. Trata-se, pois, de uma exceção à regra. Não vemos depois daquele episódio Deus usando outros animais para transmitir mensagens. Ah, e não nos esqueçamos de que o Diabo também usou a boca de uma serpente, no primeiro caso em que um animal falou (Gn 3.1).


E o caso do canto do galo que despertou a consciência de Pedro?” Ora, Pedro, ao ouvir o canto do galo, lembrou-se das palavras de Jesus. Entretanto, a ave cantou normalmente, e não em línguas estranhas! E o que despertou o apóstolo, na verdade, não foi o galo, propriamente, e sim as palavras de Jesus que vieram à tona no momento em que Pedro ouviu o tal canto (Mt 26.74,75).”Ao final de sua feroz explanação, o pregador (pregador?) faz menção de meu livro mais recente, afirmando que eu me refiro a certos fenômenos que ele realiza como sendo do Diabo. Na verdade, no livro MAIS Erros que os Pregadores Devem Evitar eu faço as ponderações mencionadas na primeira parte deste artigo de maneira abrangente, mostrando que tudo — pregações, profecias, sinais, etc. — podem ter três origens: divina, humana e demoníaca. Mais uma vez, em momento algum eu cito nomes.


Mas, o que eu posso fazer se ele pensa que eu escrevi para atacá-lo?Não é apenas o pregador em apreço que está bravo. No próprio congresso havia outros famosos expoentes em sua retaguarda demonstrando indignação quanto aos meus escritos. Já prevendo isso, ao concluir o meu livro mais recente, lançado em dezembro de 2007 pela CPAD, afirmei, na conclusão da obra (página 213):“Sei que alguns desses animadores de auditório terão acesso a esta obra, e, sem nenhuma reflexão, verberarão contra este autor. Mas quero que saibam que não é comigo com quem têm de tratar. Não devem vocês se indignarem contra mim, pois não fui eu quem escrevi a Bíblia. E, se vocês não querem andar como Jesus andou nem seguir às Escrituras — repito mais uma vez —, preparem-se para aquele grande Dia, mencionado em Mateus 7.21-23!”
Portanto, caros pregadores irados, repito: Se vocês estão convictos de que estão agradando a Deus, sigam em frente. Mas, se há alguma coisa errada, à luz da infalível Palavra de Deus, reconheçam isso, peçam perdão ao Senhor Jesus, pois é com Ele com quem têm de tratar, e não comigo.
Respeitosamente,
Ciro Sanches Zibordi

Mais uma resposta aos pregadores (pregadores?) irados e ameaçadores II

Comentário do Marcos A Guimarães

Prezados irmãos, Durante os últimos 20 anos, temos assistido o avanço de denominações pós-pentecostais, mais conhecidas como neo-pentecostais. Estas denominações não apresentaram nenhum compromisso com o estudo sério da Bíblia, e tão pouco privilegiaram os que assim tentaram fazê-lo. Durante os últimos 20 anos, observamos o zelo de muitos pastores de nossa querida igreja Assembléia de Deus em promover a defesa dos desvarios neo-pentecostais.


Em sua grande maioria estes pastores são homens simples, amantes da Bíblia, que renunciaram suas vidas pessoais e profissionais. Muitos no afã de agradar a Deus sem medidas, renunciaram até mesmo o cuidado natural da família, de tal forma, que muitos filhos destes pastores sofreram muito acompanhando os pais que desbravaram os mais sórdidos rincões de nosso Brasil. Igrejas foram fundadas, cuidadas, sob o sacrifício de homens e suas famílias.


Em muitas ocasiões, tinham que trabalhar em serviços manuais e mecânicos, (roça, oficina, pedreiro, carpinteiro, etc), e o pouco tempo que tinham, eram dedicados à oração, jejum, leitura e estudo da Bíblia (sem os recursos que hoje temos disponíveis). Estes homens eram na sua maioria exemplo de responsabilidade, mansidão, humildade e fundamentalismo Bíblico (não arredavam da sã doutrina), fundamentalismo que muitas vezes é confundido com ignorância. Eu mesmo tive a oportunidade de conhecer muitos destes homens, e muitos deles ainda estão vivos. Um grande número de pregadores-pastores da atualidade vivem de outra maneira. Ostentam uma vida luxuosa. Residem em apartamentos caros. Possuem carros caros. Usam ternos caros. Cobram somas elevadas de dinheiro para pregar o "evangelho" que Jesus Cristo entregou de "graça" e RECOMENDOU SEVERAMENTE QUE FOSSE ENTREGUE DE GRAÇA TAMBÉM.


Nós não tínhamos culto de libertação em nossas igrejas, isto é fruto da influência neo-pentecostal. Porque não tínhamos culto de libertação? Porque todos os nossos cultos eram permeados por curas divina, libertação, salvação de almas e batismo no Espírito Santo. Muito simples, a vida da igreja era de um avivamento contínuo. Ou numa eventual hipótese, o que se parece com um culto de libertação genuíno era um negócio cotidiano. Minha irmã foi batizada com o Espírito Santo em culto de terça-Feira (culto de ensino), e assim como ela, muitos o foram. Os cultos de terça- feira e escola Bíblica dominical, eram momentos de reflexão e conscientização quanto à nossa postura de Crentes fiéis a Deus, discípulos de Cristo. Eu nunca vi e nem me lembro de pastores xingando um ao outro em púlpito de igreja. Pastor irado? eu já vi muitas vezes, mas era contra o pecado, contra as atitudes erradas e hipócritas dos falsos crentes.


E quanto a isto o próprio Cristo nos deixou exemplo (exortando os fariseus, e os mercadores do templo). PORÉM, XINGAR RAIVOSAMENTE E COM ATITUDE ÁSPERA, NASCEU JUNTO COM A INFLUÊNCIA NEO-PENTECOSTAL, desprovida do amor e da humildade. E INFELIZMENTE NÓS TEMOS VISTO ESTE CÂNCER CRESCER COM TODA LIBERDADE EM NOSSAS IGREJAS. Confesso aos irmãos, que tenho estado cansado de ouvir este tipo de pregação em alguns cultos oficias de nossas igrejas. Os novos pregadores, que não conheceram a geração anterior, estão como aqueles Israelitas que não conheceram a geração dos homens piedosos (relatado em Deuteronômio), tem reproduzido o mesmo tipo de comportamento. Nós não estamos vendo os pregadores preocupados com a interpretação do texto Bíblico. E sim com os eufemismos, com os jargões, com os gritos, gemidos, pulos, berros, com o enriquecimento material das pessoas. É deplorável a situação.


Eu não tenho frequentado culto de libertação há muito tempo. Não por considerá-lo uma heresia. Mas porque não consigo comungar com os desvarios praticado na maioria destes cultos. Um irmão de minha congregação foi em um culto deste naipe, e voltou horrorizado, quase desviado para ser mais franco. No tal culto, o pregador estava levantando uma oferta para a construção do templo, e quando um certo irmão pediu oração por um problema de coluna e apresentou seu cheque (valor alto) o pregador ficou tão extasiado, que pegou o cheque e disse alto e em bom som: "Eu não vou nem orar, apenas vou passar o cheque na coluna deste irmão, e ele será curado!" Isto demorou um certo tempo, mas o irmão não foi curado, e o pregador atribuiu isto à falta de fé do irmão. Em outro culto, um destes pregadores de "Camboriú" como muitos gostam e fazem questão de se auto proclamar, levantou uma "oferta" sob o pretexto de "ungir" as mãos dos que iriam ofertar.


Levantou uma soma considerável. E o curioso é que naquela mesma semana, foi levantada uma oferta na igreja e o valor foi ínfimo, os irmãos alegaram estar em um período do mês em que não se tem dinheiro, MAS QUANDO O PREGADOR PROPÔS UNGIR AS MÃOS DOS OFERTANTES, O DINHEIRO APARECEU. ISTO É HIPOCRISIA! O destino da tal oferta foi alardeado que seria para o caixa da Secretaria de Missões. Porém, eu fiquei sabendo depois, que 40% daquele valor foi parar nas mãos do pregador de Camboriú. Triste, lamentável, vergonhoso. O pastor da igreja ficou com tanta vergonha dos irmãos, que não teve sequer palavras para pedir desculpas para a Igreja.


O que eu acho curioso é que estes pregadores neo-pentecostais assembleianos, gostam de xingar e extravasar a raiva contra qualquer um que fale um mínimo contra seus devaneios, mas contra eles nada pode ser dito, verbalizam aterrorizadamente contra tudo e todos. Quem pensou em um cenário como este para a igreja? O inferno possivelmente. Daí a exortação do apóstolo Paulo sobre os acontecimentos dos últimos dias quando escreveu à Timóteo. Eu apoio integralmente os alertas do Pr. Ciro Sanches Zibordi. A Bíblia nos alerta: "Quem é santo, que santifique-se ainda mais", pois, os que estão sujos, irão se sujar ainda mais. Deus abençoe a todos e que possamos servir a Deus de coração sincero em meio à tantas intempéries.


Marcos Antônio M. Guimarães

é prof° e pregador e escritor

Admistrador de Empresa


"A única coisa necessária para o triunfo do mal, é que os homens bons não façam nada"
Edmund Burke (1.729 - 1.797) Estadista e Filósofo Irlandês

Mais uma resposta aos pregadores (pregadores?) irados e ameaçadores III

Comentário de José San Martín
Alguém do peso, coerência e com o conhecimento bíblico do pr. Ciro precisava botar o dedo na ferida e denunciar esses pregadores-gritadores e barulhentos, irreverentes xingadores de nossos pastores em público, aplaudidos por uma multidão de néscios, joio e - tanto quanto eles -, desconhecedores da verdade bíblica. Pergunta se esse povo freqüenta Escola Dominical? Se sentam para ouvir a doutrina bíblica? Nãããããããoooo! Se escudam meramente numa tal "experiência", "sinais" e "prodígios", vomitação de substâncias asquerosas. Mas isso não é certificado e nem carta branca para sua ira, suas porfias e xingação no santo púlpito.


Tenho observado esse estilo de pregação estranho. Parece que a pessoa está com raiva de alguma coisa. E por que estão com raiva? Ora, a suposta oração e jejuação excessiva deveria conduzi-los a outro comportamento. Na verdade, isso é um modismo, uma inovação que nossos pioneiros nunca utilizaram. É uma forma de oratória agressiva que não encontra amparo nas Escrituras. Mas a maioria, o povão analfabeto bíblico tanto quanto seus animadores de auditório, gosta. Parece que se transformou num jogo: A multidão gosta então vamos nessa! O povo [néscio] vibra? Então por que mudar o estilo? Mas a maioria pode estar caminhando para o abismo da falsa prosperidade e a busca desenfreda por pão e peixe. Nunca se interessaram pelo Senhor da bênção que cobra um comportamento diferente, como o exposto nos livros do pr. Ciro.


Sinceramente... tenho observado a imagem desse povão pelo Brasil afora que lota tais reuniões. Alguns são sinceros e buscam a Deus com simplicidade. Mas boa parte é um povo feio mesmo [porque o desvio para a direita enfeia o crente], com ar de certa arrogância por ter líderes raivosos que promovem sua catarse mental a cada pregação estranha ao padrão apóstólico. É como se tivessem de receber uma dose semanal ou mensal num ritual que os afasta cada vez mais da verdade. Isso é grave. A Palavra genuína pregada pelos nossos pastores pioneiros nunca conteve essas manias e desvarios. Nossos pioneiros nunca usaram o púlpito para discursos irados e xingação dos companheiros por que isso não é imitar o Senhor Jesus. E Deus sempre abençoou a igreja de outrora, curou, salvou sem essas megalomanias pirotécnicas.


Portanto, estou do lado da Bíblia, do pentecostalismo bíblico, do exercício dos dons no padrão apóstólico, da verdade, da disciplina, da abnegação cristã a Deus, da ética cristã e bíblica esposada nas Escrituras. A experiência desvirtuada e dessintonizada da Palavra não conduz a progresso e crescimento espiritual sadios. São sinais da volta do Senhor. Os apóstolos avisaram desse tempo de trevas DENTRO DA IGREJA da igreja, com doutrinas de demônios e todas as armadilhas satânicas. Olhemos para cima e aguardemos nossa redenção, porque a coisa vai piorar! Pastor Ciro tem todo o meu apoio. Por que denunciar esses descalabros é ser tachado de falta de amor. Mas o amor verdadeiro alerta quanto ao abismo à frente.


E não é nada de briga sem sentido não, tampouco intrigas pessoais, mas o desmascaramento de um movimento que só tem trazido prejuízos à igreja. Amor que não transforma não é amor. Amor conivente com o erro é tudo menos amor. Amor que não tem coragem de dizer ao amigo que ele tem mau hálito nunca será amor. E ultimamente existem tantos nos dando baforadas mortais e insuportáveis. Há quem aprecie... Mas quem conhece o bom odor da Rosa de Sarom não confunde esterco da heresia com flores celestiais. Portanto, tenhamos coragem de dizer-lhes: Você tem mau hálito e mau hálito tem cura!


Abraço

José San Martín
Cristão, casado, um filho, recebeu os diplomas de bacharel em Jornalismo e Radialismo pela Universidade Federal de Mato Grosso. Educador cristão, estudante de Teologia. Exerce a profissão de jornalista e radialista.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

A verdadeira prosperidade


A verdadeira prosperidade


Se é verdadeira, é porque existe a falsa. E quantas pessoas estão embebidas com a falsa prosperidade...

Vivemos uma onda na igreja hoje, que vemos, ouvimos e até fazemos coisas, que não sabemos de onde veio, nem quem inventou. Campanhas para sermos abençoados. Culto da benção. Já não somos abençoados? "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo" (Ef 1.3). Outras pessoas pregam que devemos dar os dízimos e ofertas, contribuir com campanhas, para sermos prósperos financeiramente. Isto é: dízimos, ofertas e campanhas, nos tornam abençoados financeiramente (ricos em outras palavras). Onde tem isso na Bíblia? "Eu, o Senhor Todo-Poderoso, ordeno que tragam todos os seus dízimos aos depósitos do Templo, para que haja bastante comida na minha casa. Ponham-me à prova e verão que eu abrirei as janelas do céu e farei cair sobre vocês as mais ricas bênçãos" (Ml 3.10). (linguagem de hoje).


Aqui não está dito que estas bênçãos sejam somente riquezas de carros, casas e dinheiro no banco. Se bênçãos forem carros e casas, e Paulo diz que Jesus já nos abençoou com todas as sortes de bênçãos, porque é que tem irmãos que são dizimistas fiéis, ofertantes fiéis, e contribuintes fiéis em campanhas e não são ricos? Muitos não tem carros? Se dízimos ofertas e campanhas trazem recompensas materiais, muita gente na igreja estão contribuindo a tempo e não são ricas, onde está a falha? Falta só a gente dizer na igreja como aqueles que inventaram a teologia falsa da prosperidade: estão em pecados! por isso TODOS não são ricos! Estão sem fé! por isso TODOS não podem ter seu carro e dinheiro na conta! Meu irmão larga de ser bobo e leia a Bíblia! Foi Jesus quem falou em Mateus 26.11 "Porquanto sempre tendes convosco os pobres". Sempre teremos pobres na igreja, dando dízimos ofertas ou contribuindo com campanhas, sempre teremos pobres.


Agora vamos ensinar, que devemos devolver dízimos, ofertas e contribuir com campanhas porque somos fiéis, e Jesus já fez tudo para conosco. Dar dízimo para que haja pão, porque somos fiéis aos mandamentos, dízimos é mandamentos, e nunca pra sermos ricos. Existe pessoas fazendo barganhas com Deus. Pagam dízimos para se tornarem ricas. Se fosse assim, a chave mestra das riquezas era: Pague seus dízimos e seja um milionário.Quantos irmãos passaram a vida toda dando dízimos, contribuindo com campanhas e morreram pobres? E morreram sem ser ricos? Leia Hb 11 muitos andaram sem casas, sem roupas e até padeceram fome. Eles com isso não foram próspero? Não foram abençoados? Negativo! Prosperidade na Bíblia não está limitada a riquezas materiais somente. Se tivermos unção de Deus, dons espirituais, fruto do Espírito, se gozamos de saúde isso também é prosperidade.


E se tivermos riquezas? E se tivermos casas, carros e muito dinheiro no banco? Isso também é prosperidade sim senhor, achou que eu ia dizer que não? É claro, mas não devemos amá-las, e nem ser egoístas, mas ajudar aos outros como a Bíblia manda. Para isso ALGUNS recebem riquezas, e se for algum de nós, não leve somente a chave do carro, da casa, do prédio para orarem por ela não, mas vá você receber a oração. Muitos oram pelas chaves, para que? Para a chave não se quebrar, não enferrujar, não enguiçar? Vamos nós recebermos a oração!!!! Não a chave. Sem falar que existe pregadores distribuindo chaves de carros, chaves de apartamentos. E muitos irmãos recebem pela fé, essas chaves. Os mais ousados ainda falam até o dia em que as chaves vão chegar. Conheço muitos irmãos que até hoje estão esperando as chaves de seus carros profetizadas por esses mercadores do evangelho.


Quando comprarmos casas ou carros novos vamos nós recebermos a oração. Para aprendermos administrar aquilo que Deus nos deu. Porque se eu sou abençoado, todas as minhas coisas também são. Onde eu puser as mãos ou a planta do pé se tornará abençoado. Não foi assim com José? Não está escrito isso no Salmo 1? Às vezes criticamos quem unge chave, casa, carro etc. e estamos orando por metal (chave) em vez de chamarmos as pessoas e orarmos por elas com chave e tudo. Tem gente orando pelo veículo. Senhor abençoe meu carro, não deixe furar o pneu, não deixe ele enferrujar ficar feio ou velho!!! Ore pelo dono do carro, se o dono for abençoado o carro será, o pneu o motor tudo será! Isso é só o começo da falsa prosperidade.
Texto escrito por:
Geziel Silva Costa

Pr. Silas Malafaia fala sobre o Aborto no Programa Canal Livre da Band


video



video


Muitos acham que o aborto é uma questão religiosa, e que a religião se opõem a esse (avanço). A imprensa é tendenciosa, quando fala sobre o aborto. Não ouvem as autoridades no assunto. As autoridades científicas, como os biólogos e embriologistas afirmam categoricamente que a vida começa na concepção. Isso é uma questão científica, não filosófica, ou opinião apenas. É um fator tão bem postulado que nenhum cientista honesto, negaria que a vida começa na concepção. O video é muito bom.

Abraços

Geziel

quinta-feira, 3 de abril de 2008

lembranças da obra de Deus

Lições Bíblicas 2° trimestre 2008

As disciplinas da vida cristã (06/04/2008)

Introdução
Deus escolheu Israel, para ser um povo diferente. As leis, o comportamento, o Deus que eles servem é diferente dos deuses das demais nações. Os dez mandamentos, chamado de Lei Moral, mostra a disciplina do povo para com Deus e o seu próximo. As leis cerimonias, serviam para orientar o povo na disciplina para com o tabernáculo e seus utensílios. O povo era orientado nas leis civis, para tratarem-se com os direitos e deveres. Tudo tinha regras e disciplinas. Hoje somos o Novo Israel, e através destas lições, aprenderemos a importância de sermos disciplinados.

I. O QUE SÃO DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ?

definição:
Disciplina é o treinamento pela instrução e pelo controle(1Co 9.27). O conceito bíblico de disciplina tem um lado positivo (instrução, conhecimento e treinamento) e um aspecto negativo ( correção, castigo e reprovação). Aqueles que se recusam a se submeter à disciplina positiva de Deus, obedecendo às suas leis, experimentarão a disciplina divina em seu aspecto negativo por meio de sua ira e juízo. No âmbito humano, a disciplina pode significar uma medida corretiva que envolve castigo físico (Pv 22.15). Neste trimestre, estudaremos as disciplinas no seu aspecto positivo. Elas são disciplinas espirituais, para serem desenvolvidas na vida espiritual.

II. SÍMBOLOS DAS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ

1. A disciplina do soldado
No quartel, os soldados são disciplinados para a guerra. Mas para isso, precisam conhecer suas armas, aprender a usá-las, vestir-se adequadamente e acima de tudo, conhecer as estratégias do seu inimigo. Paulo fala em disciplinas para os soldados de Cristo em (Ef 6.10-20).

a. Armadura. Deus quem nos concede e nos arma para a luta contra o inimigo. Nossa luta não é contra a carne e o sangue.

b. A couraça, protege dos dardos. A couraça da justiça, nos protege das acusações.
c.As botas dos soldados, protegiam seus pés, e sempre estavam avançando a largos passos. Quando calçamos os pés no evangelho da paz, estamos protegidos contra os modismos, heresias, intrigas, e qualquer coisa que possa freiar nossa macha.
d. Os soldados romanos se livravam das flechas, com o escudo. Nosso escudo é a fé. Rebatemos com ela, as dúvidas do inimigo, as setas malignas, laço do passarinheiro, peste perniciosa, espanto noturno etc.

e.O capacete livrava os soldados de morte fatal. A salvação, é nossa proteção contra a condenação. Não adianta tantos apetrechos, tantos conhecimentos, se não formos salvo. Se tomarmos o capacete da salvação, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

f. A espada. Para os soldados romanos se tornarem, rápidos no manejo da espada, exigiam deles muito treino, para pegar habilidades e reflexos. Para manejar bem a palavra da verdade, precisamos guardá-la no coração, meditar dia e noite, persistir em lê-la, amá-la, dar as interpretações corretas. Assim podemos apresentar-nos a Deus aprovado como obreiros que maneja bem a palavra. É muita disciplina, os soldados treinam muito, correm bastante, mas estão sempre em forma e bem disciplinados, pronto para a guerra.

2. A disciplina do atleta

a. Exercícios. Os exercícios aumentam a musculatura, prolongam a respiração, e a circulação sanguínea se torna mais eficiente etc. A Bíblia manda exercitar na piedade e na fé. Porque? a fé cresce, aumenta, à medida que praticamos. O amor cresce quando exercitado. Para crescer na graça e no conhecimento, é necessário exercícios, isto é; Por em prática na nossa vida diária.

b. A comida. A comida é essencial para o corpo. Os atletas comem as que trazem mais nutrição as que trazem energia para a resistência do corpo. São disciplinados ao comerem. Tem atletas cristãos que estão comendo muita porcaria na televisão, Internet, jornais e revistas. É uma podridão oferecida pelo deus deste século. Daniel recusou a comida oferecida a ídolos em Babilônia. Preferiu comer legumes e verduras que a lei não proibia. A palavra é alimento para a alma e pão do céu, mas muitos não comem, passam vinte trinta anos na igreja e nunca lerem a Bíblia toda.

c. Determinação. Não adianta o atleta ir para a competição desanimado. Todos entram para ganhar, mas apenas os mais bem disciplinas conquistam o prêmio. Precisamos ter certeza do que queremos. Moisés recusou ser chamado filho da filha de Faraó. Ele tinha certeza do que queria, preferiu sofrer com Israel. A certeza da salvação, de vitória, do céu na vida de quem corre a carreira espiritual é essencial. Corramos a carreira que nos está proposta, e vamos combater o bom combate e guardar a fé.

d.Conquista. Nosso galardão está no céu, mas precisamos conquistá-lo. Enquanto Eliseu não conquistou o que queria, não deixou Elias. Não quis ficar em Gilgal, Betel, Jericó e Jordão como mandara Elias. Mas foi determinado em ver Elias subir, para conquistar a porção dobrada do Espírito. Jesus nos deu exemplo de vencedor. Temos muitas aflições, pelejas após pelejas, mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso senhor Jesus Cristo. O reino de Deus é tomado a força, buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas vos serão acrescentadas.

3. A disciplina do agricultor

O resultado da semeadura será proporcional ao que foi semeado. "Porque semearam ventos, e segarão tormentas" (Os 8.7). Uma grande colheita dependerá, antes de tudo, da quantidade de sementes plantadas. Mas o bom lavrador deverá, também, conhecer todas as técnicas capazes de produzir o maior resultado possível da semeadura, que jamais poderá ser feita aleatoriamente. A semente, no nosso caso, é a palavra de Deus, mas o modo de semeá-la podem ser diferentes, de acordo com as circunstâncias.
Se o lavrador possui uma grande área cultivável, onde pretende desenvolver determinada cultura, a semeadura terá de levar em conta o tamanho da área. O princípio da proporcionalidade está implícito na Bíblia, quando, por exemplo, Jesus identifica o crente como "sal da terra e luz do mundo". A parábola do semeador (Mt 13.1-9) também traz o mesmo ensino. Quatro tipos de terra receberam a semente. Na Bíblia, o número 4 é símbolo de totalidade. Portanto, toda a área sob a influência da igreja local deve ser cultivada, independentemente de alguns seguimentos serem ou não férteis. Não pode haver preconceitos na evangelização. O rico e o pobre, o intelectual e o analfabeto, o profissional liberal e o lavrador, todos, sem distinção, devem receber a Palavra de Deus.
A Bíblia fala de "pouca fé" (Mt 6.30), "tanta fé" (Mt 8.10), "fé como um grão de mostarda" (Mt 17.20), "homem cheio de fé" (At 6.5) e sobre a "medida da fé" (Rm 12.6). Isso significa que o trabalho de cada um será, também, mediante o tamanho de sua fé. Só fará grandes coisas para Deus, quem tiver fé abundante e assentada nas promessas do Altíssimo. O crescimento da Igreja só terá repercussões positivas de acordo com a eficácia da fé dos que o estão empreendendo.
Ferramentas. O lavrador usa as ferramentas adequadas para a lavoura, e as manuseia muito bem. As ferramentas dos cristãos e o manuseio delas, devem ser ensinados para a igreja. Jesus disse aos discípulos: Vinde após mim e vos farei pescadores de homens. Eles eram pescadores de peixes, e se tornariam pescadores de almas. Cada peixe tem sua isca, tem uns que devem ser cevados, para serem apanhados.

III. A EFICÁCIA DAS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ

1.As disciplinas da vida cristã são eficazes contra o pecado.

Um exemplo clássico na Bíblia, de cristão disciplinado é José. Tinha tudo para ser um jovem amargurado, triste e revoltado. Mas trabalhava com honestidade, mesmo sendo escravo. Como escravo não tinha direito a férias, salário, carga horária de serviço. Mesmo assim, trabalhava com dignidade e fidelidade. Quantos cristãos hoje, ganham férias, salários e uma série de outras mordomias e são empregados ruins, que passam horas no serviços reclamando de tudo? José como escravo ganhou a confiança do patrão e se tornou mordomo de Potifar. Quanto à sua resistência de pecar com a mulher do patrão, ele tinha uma disciplina ferrenha. Ele diz:" Como, pois, cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus"?(Gn 39.9 RA). Porque quem tem compromisso com Deus, também tem com o patrão, o serviço, a igreja, a escola, a família, os cargos e etc.

2.As disciplinas da vida cristã são eficazes no serviço.

Antes de partir para qualquer ação o cristão deve ter uma disciplina na comunhão com Deus. Qualquer cristão terá pouco sucesso na sua vida, se não for disciplinado na oração, leitura diária da Bíblia, consagração e comunhão com Deus e o próximo. Mas a disciplina do amor, quando o crente se aplica a amar a Deus e o seu reino de uma forma geral, ele faz como os heróis da fé (Hb 11). Suporta tudo por amor a Deus, se preciso deixa tudo e até morre por amor a Deus. Nestes dias que vivemos, não podemos deixar o amor esfriar, mas voltar ao primeiro amor, como está escrito na Bíblia, o mais importante é o amor. O que falta realmente hoje é disciplina. As vezes ficamos nos exaltando porque temos os dons espirituais. E até medimos a santidade de muitos cristãos, pelos dons que ele possui. Não esqueçamos, a árvore se conhece pelos frutos. E para se ter frutos, é preciso disciplinas do Espírito. A igreja de Corinto possuía os dons, mas não eram disciplinados, foi preciso Paulo dar umas reprimendas na igreja através das cartas.

Conclusão

Se nos entregarmos as disciplinas, não seremos apenas mais um evangélico, e sim imitadores de Cristo. Ele nos deu o maior exemplo, e até levava os discípulos para as vigílias, e através de seus sermãos, ajudava-os nas disciplinas da vida cristã. Através das disciplinas livremos-nos de todo estorvo, hábito ou qualquer tendência que possa impedir a carreira espiritual.
texto escrito por
Geziel Silva Costa

A caminhada espiritual




Pedro caminhou sobre as águas
Pb.Geziel bel.teol.pela faetpmat. Texto:Mateus 14.25-35

A Bíblia lista várias caminhadas, vejamos:

Na caminhada de Deus no Édem ele chamou por Adão
Na caminhada de Abraão ele caminhou deixando sua terra para ir a Canaã
Na caminhada de Moisés ele caminhou do Egito ao deserto
A caminhada de Josué em volta dos muros de Jericó
A caminhada de dois discípulos no caminho de Emaús
A caminhada interrompida de Paulo a Damasco
A caminhada triste e santa do pretório ao gólgota-via dolorosa
Mas caminhar sobre as águas? Isso é interessante!


Na vida de quem Deus quer usar e melhorar há sempre algo.
Há sempre um chamadode Deus: Abraão sai da tua terra...Adão onde estas?...Lázaro sai...
Há sempre medo: Moisés disse: sou pesado de língua...Os espias disseram: são gigantes...Adão disse: ouvi tua voz e me escondi...
Há sempre encorajamento, Deus disse: Vou com vocês Moisés, Gideão... aos dicíluolos Jesus falou: Estarei convosco...
Há sempre uma vida transformada: Pedro, Mateus, Paulo, Maria Madalena.


Deus sempre se apresenta de forma a chamar a atenção na sua teofania

A Abraão ele apresenta-se como anjo
A Moisés no fogo no meio da sarça
A Josué apresenta-se como capitão do exército
A Pedro e aos discípulos como um fantasma
Todos sentiram medo, mas quando disseram sim ao chamado experimentaram o poder.

Jesus aparece aos discípulos no ultimo momento, três horas da manhã, o limite humano é o lugar mais freqüente para encontrar deus.(Dale Bruner).
Pedro reconheceu Jesus na tempestade, aventurou andando sobre as águas. Precisamos reconhecer Jesus na tribulação, ele está conosco.
Pedro deixou o barco apesar da tempestade, no barco era melhor que na água; o que precisamos deixar? Qual o seu barco? O emprego, bens, família, amigos? O barco não é o lugar mais seguro. Você pode ficar em sua casa sem fazer nada, mas corre o risco de se acidentar sem fazer nada. Talvez você resolva sair do barco como Pedro. Tudo ia bem, mas reparou na tempestade, e quase foi para o fundo. Você começa o novo cargo, novo ministério, mas de repente vem à tempestade, os problemas. Pedro sabia caso afundasse, Jesus seria a pessoa certa para ajudaá-lo. Quando você começar afundar nos problemas, Jesus é a pessoa certa. Pedro experimentou a Glória de sair do barco, a glória de ser erguido por Jesus.

A tarefa da esperança

Será se os amigos de Pedro caçoaram dele depois de afundar?
Os discípulos tiveram de esperar Jesus acalmar a tempestade. Primeiro Pedro andou sobre as águas, aconteceu tudo aquilo que levou tempo, e só depois Jesus entra no barco e acalma a tempestade.
Pedro não pede promessa, garantia de não afundar, mas ordem: manda-me.
Andar sobre as águas implica coragem e reconhecer o chamado. Para alguns, Pedro agiu no impulso, para outros pela fé. Pedro disse: convida-me. E creu que também podia andar, e andou.
Qual o pensamento de Pedro quando estava andando sobre águas? O vento no rosto, água solidificada, o ar espantado dos amigos, talvez pensava: não acredito, eu? Funcionou! Estou andando! É o messias mesmo. Como é isto? O olhar de Jesus estava radiante. Por ver seu discípulo confiar nele.
Ouvimos sobre o poder de Deus (Sl 104:32, 46:6). Mas ver e ouvir não basta, é necessário experimentá-lo. Os discípulos apesar de verem milagres, apavoraram-se(Mc.4:39).
Israel apavorou com a morte de Moisés(Js. 1:9).

Para experimentar o poder de Deus é necessário dar o passo.

Moisés-precisou lançar a vara e depois apanhá-la
Israel-teve que marchar, depois o mar abriu-se!
Naamã-necessitou mergulhar sete vezes, depois a cura.
Gideão, de trinta e dois mil reduziu o exército a trezentas antes de derrotar os medianias
Os Pães e peixes tiveram que ser entregue ante de serem multiplicados.

Reparando no vento

Porque Pedro preocupou com o vento? Ele estava andando por cima das águas, venceu as leis da física.
As crianças pequenas quando estão aprendendo a andar, quando caem nunca pensam: puxa vida! Nunca mais vou andar. Elas se levantam e andam até ser perfeita. Nós somos diferentes, tropeçamos e desistimos. As crianças se divertem, mas quanto mais crescemos, mas temos medo.
A primeira atitude de Jesus foi salvar Pedro e depois repreender. Primeiro Jesus nos salva depois nos repreende. A salvação e o perdão evidenciam o amor de Deus.
Quando Pedro sai do barco, fracassaou, e Jesus ajuda a descobrir seu fracasso. Pouca fé. Não ganhou nota dez, mas pelo menos estava melhor que seus companheiros, tinha pouca fé, mas ao menos tinha fé.Seus colegas zero fé.

A esperança tirou Pedro do barco

A confiança o sustentou o medo o afundou, o medo e a dúvida é o curto circúito que corta a ligação o poder de andar nas águas.
Todos nós não gostamos de esperar. No trânsito, no médico, nas filas de bancos etc. Até ficamos alegres quando Mateus fala que imediatamente Jesus disse sou eu, ou imediatamente ajuda Pedro.
Os discípulos esperaram Jesus. Pedro esperou ser chamado para sair do barco.
Esperar é a tarefa mais difícil da esperança (Sl 37:7,34).
Abraão teve de esperar vinte e quatro anos para o cumprimento da sua promessa.
Em (Lc. 2:25), Simeão esperava a consolação de Israel. Depois que Jesus veio a espera continua. (At.1:4, Rm. 8:23-25). Porque Deus nos faz esperar? Porque não nos alivia com a resposta? Porque o que Deus faz em nós enquanto esperamos, é tão importante quanto àquilo pelo qual esperamos.
O economista que pediu um centavinho e teve que esperar um minutinho. Queremos o centavo mas não queremos o minuto. (Is 40:30, 31) os que esperam no senhor voam como as águias. O Espírito te impulsiona para o ar( Jo. 3:8).
Texto de:
Geziel Silva Costa